ERVA-DE-SANTA-MARIA

ERVA-DE-SANTA-MARIA

 ERVA-DE-SANTA-MARIA

(Chenopodium ambrosioides).
 
 
 
FAMÍLIA: Quenopodiáceas.
 
OUTROS NOMES: Erva-formigueira, erva-vomiqueira. No norte do País a erva chama-se mentruz ou mastruço; no sul mastruço é outra planta.
 
DESCRIÇÃO: A erva-de-santa-maria é uma planta muito comum no Brasil. Tem folhas alternas, sésseis, ascendentes, atenuadas em ambas as extremidades, algo sinuosas, e fortemente denteadas. As superiores são lanceoladas, inteiras. A inflorescência apresenta-se em cachos alongados nas extremidades das ramificações do caule. As flores são miúdas e esverdeadas. Os frutos são aquênios inteiramente envoltos no cálice. As sementes são mui numerosas, pequeninas e pretas. Toda a planta tem cheiro forte, desagradável.
 
USO MEDICINAL: A erva-de-santa-maria é empregada para afugentar pulgas e percevejos. Para este fim, os nossos caboclos costumam varrer seus cômodos com os ramos desta planta colocando-os também sob os colchões. Para se conseguir uma essência inseticida ativa costuma-se destilar somente as sementes limpas desta erva em banho-maria, ou seja, por meio do vapor. A proporção que se emprega é de 1-3 por mil. Pode-se, no entanto, destilar toda a planta, para obter um bom inseticida.
         Esta erva no Brasil é muito famosa como vermífuga. Aliás a maior parte dos vermífugos são compostos de erva-de-santa-maria.
         A dose que se recomenda para esse fim, é de 10 gramas de folhas em 1 litro de água. Costuma tomar-se um gole de hora em hora. Depois de se tomar o chá desta erva, tomam-se umas colheres de óleo de rícino.
         Fazemos estas referências, só porque o uso desta planta para combater vermes, inclusive a tênia (solitária), é muito generalizado no Brasil. Caso contrário, não a incluiríamos aqui. As plantas venenosas preferimos deixar de lado, porque o seu uso, ainda que me doses pequenas possa trazer algum benefício, é perigoso.
         É também indicada para combater a dança-de-são-vito e usada empiricamente contra a tuberculose. (Uma colher de sopa do sumo em jejum).
         É geralmente conhecido o efeito abortivo desta planta. Portanto as mulheres grávidas não devem usá-las de maneira alguma.
         Não se ignora tampouco que doses mais ou menos fortes da essência desta erva, quando usada para combater vermes, trazem doenças e algumas vezes até a morte.    
 
PARTE USADA: Folhas, sumidades floridas, sementes, por infusão.
 
DOSE: 10 gramas em 1 litro de água; 3 xícaras por dia. 
 
Não se deve ir além desta dose.

Programa Saúde Total

Levando informações aos ouvintes sobre saúde e qualidade de vida, valorizando os benefícios da natureza: ar puro, atividade física, água, luz solar, alimentação, repouso, abstinência e muito mais.