Caxumba

Caxumba

 O apetite desapareceu. A cabeça doía. Toninho, uma criança vivaz, só queria cama. “Com certeza está doente” — sentenciou a mãe. Mediu a temperatura: febre baixa. Levou a criança ao pe­diatra, que não pôde, de imediato, definir o quadro. Orientou que o pequeno paciente deveria ser mantido sob observação. Logo no dia seguinte Toninho começou a apresentar inchação debaixo do lóbulo da orelha. Mais dois dias e seu rosto estava enorme, deformado, inchado de um só lado. Não havia, a essa altura, qualquer dúvida: caxumba

Tratamento

A caxumba é doença benigna, que se cura espontaneamente ao terminar o ciclo viral. Por se tratar de virose, os antibióticos não têm nenhuma utilidade, como alguns erradamente supõem. O tratamento convencional não foge ao uso de antitérmicos e analgésicos.

É preciso observar repouso e certo isolamento, para evitar o alastramento da doença. A dieta, na fase aguda e/ou febril deve ser baseada em sucos de frutas, ao natural, sem açúcar. O açúcar é imunodepressor.

Deve-se manter adequada higiene da boca, para evitar invasão secundária por bactérias. Podem-se usar gargarejos com substâncias anti-sépticas (como água e própolis). Os intestinos devem ser mantidos funcionando bem, com laxantes suaves, como mamão, farelo de trigo, linhaça e mel.

Compressas quentes locais são indicadas no alívio das dores. Proteger o corpo contra friagem, especialmente os pés.

 

Alimentação

Recomenda-se dieta leve, que não exija grande esforço digestivo ou mastigatório. Contra-indicamos alimentos e bebidas gelados ou excessivamente quentes, açúcar, guloseimas, refrigerantes, frituras, carnes, lingüiça, salsicha, presunto e outros embutidos, margarina, manteiga, queijos curados, molhos e temperos. Na fase aguda, a alimentação deve basear-se em sucos de frutas e hortaliças. Poupando-se o organismo da sobrecarga digestiva que freqüentemente a ele se impõe, as energias vitais poderão aplicar-se integralmente no combate à infecção.

Durante a febre, sucos de frutas, como suco de laranja, suco de maçã com mamão etc. Quando o intestino não funciona é recomendável um clister (lavagem intestinal; só fazer clister com permissão médica), que, de acordo com a experiência de clínicas naturistas, trará notável alívio e diminuição da febre.

Não recomendamos o uso e abuso de mel, que poderá, em grande quantidade, agir como imunodepressor. Contudo, um pouco de mel com própolis e geléia real é indicado.

Passada a febre, pode-se usar suco de cenoura com brotos, e legumes bem cozidos (couve-flor, brócolis, vagem, abóbora etc.), purê de batata ou arroz integral em papa com um pouco de caldo de lentilha ou feijão. Não misturar vários amiláceos, como batata, arroz e pão; é melhor usar um por vez. Na convalescença podem-se acrescentar ovos caipiras bem cozidos.

 

Chá de sabugueiro, meia xícara duas a três vezes ao dia. Como preparar: Uma colher, das de sopa, da planta para 300ml de água. Derramar água fervente sobre a planta. Deixar que esfrie e coar. Pode-se alternar com chá de tanchagem com alecrim e umas 20 gotas de própolis (solução de álcool etílico, a 30%): Duas colheres das de sopa para meio litro de água. Ferver e filtrar. Administrar ao doente meia xícara de chá de sabugueiro e, dentro de duas horas, meia xícara do outro chá (tanchagem, alecrim e própolis).

Para a higiene bucal, bochechos com chá de sálvia, malva, tanchagem e 30 gotas de solução de própolis a 30%, várias vezes ao dia.

Plantas

 

Você sabia?

É tradicionalmente indicado para combater cólicas mens­truais, distúrbios cardíacos, falta de apetite e sarna.

Modo de usar: Derramar ½ litro de água fervente sobre 3 colheres, das de sopa, das folhas picadas. Deixar esfriar. Filtrar e tomar 1 a 2 xícaras ao dia. Contra a sarna, uma pomada: misturar 10 partes de gordura vegetal para uma parte de suco puro de alecrim.

Alecrim-de-jardim (Rosmarinus officinalis)

 


Programa Saúde Total

Levando informações aos ouvintes sobre saúde e qualidade de vida, valorizando os benefícios da natureza: ar puro, atividade física, água, luz solar, alimentação, repouso, abstinência e muito mais.